onClick="ga('send', 'event', 'clique_whats', 'clike');"
 
Buscar
  • Sara Duim

Benefícios da telepresença em hospitais, clínicas e residencial sênior

Atualizado: 25 de jun. de 2021


Entre os avanços tecnológicos alcançados ao longo dos tempos, sem dúvida a possibilidade de nos comunicarmos com pessoas sem estar ao lado delas é um dos mais perceptíveis em nosso dia a dia. E, é claro, a forma de interagir também foi mudando ao longo dos anos. Hoje em dia, realizar uma chamada de vídeo para alguém que está do outro lado do mundo é uma possibilidade para cada vez mais pessoas.

Mais do que isso, a telepresença também é uma realidade hoje, podendo ser realizada de diferentes maneiras. E existem alguns contextos que podem se beneficiar imensamente com a telepresença, como hospitais, clínicas e residenciais sênior. Confira, a seguir, quais são os principais benefícios da telepresença nesses ambientes!


Auxílio na telemedicina

Um dos benefícios da telepresença, especialmente em hospitais, é a possibilidade de realizar um dos elementos da telemedicina: o atendimento remoto de médicos. Em tempos de pandemia, essa função é um diferencial importante, pois evita o contato direto com pacientes com Covid-19, por exemplo, eliminando os riscos de transmissão nesses casos.

Assim, um médico pode realizar rondas e visitar diferentes pacientes sem sair de seu consultório, por exemplo. Mais do que isso, pode realizar essas visitas sem depender de enfermeiros ou outras pessoas tanto para transportar o aparelho de comunicação (como um celular demandaria) quanto para medir sinais vitais e conversar com o paciente para compreender sintomas e necessidades dele.


Autonomia para a realização de diferentes funções

Um dos mais interessantes benefícios da telepresença é a autonomia que ela oferece. É muito comum comparar a telepresença com a realização de uma videochamada, como as que realizamos pelo celular ou computador. Mas é importante destacar que, nesse tipo de chamada, é necessário que haja pessoas dos dois lados da comunicação, para permitir a realização da chamada e segurar, ajustar ou transportar o meio por onde a chamada é realizada.

Com a telepresença proporcionada pelo Robios, no entanto, não é preciso ter uma pessoa para permitir a conexão com o robô, pois ele fica conectado a uma dock station e pode ser acessado sem que alguém esteja ao lado dele para permitir esse acesso.

Isso significa que um médico, por exemplo, pode acessar o robô de maneira remota e transitar pelo hospital de forma independente, visitando pacientes e realizando rondas de forma remota.


Conheça o Robios Remote, o primeiro robô brasileiro de telepresença.


Visita remota e humanizada

Foto no Hospital Universitário Cajuru

É um dos benefícios da telepresença, também, que pacientes internados com doenças facilmente transmissíveis, como a Covid-19, possam receber a visita de familiares de forma remota, mas com maior humanização. Isso porque o Robios possibilita que familiares acessem o robô por um celular ou computador e conversem com o paciente, sem precisar que ele ou outra pessoa segure um computador ou celular.

Dessa maneira, tanto médicos como familiares podem estar mais próximos de pacientes internados sem colocar em risco a própria saúde. E o Robios, com toda sua simpatia, torna essa conexão mais humana.

Outro dos benefícios da telepresença, ainda, é a possibilidade de visitar familiares que moram em um residencial sênior, de maneira remota e mais humanizada. Isso porque, com o Robios, é possível caminhar pelo residencial e acompanhar rotinas, visualizar os quartos e as áreas comuns e, até mesmo, acompanhar o morador em uma caminhada, por exemplo. Além disso, com toda a simpatia do Robios, as visitas remotas ficam muito mais acolhedoras do que uma chamada de vídeo feita pelo celular.


Triagem autônoma


Robios executando triagem

Um dos mais interessantes benefícios da telepresença, tanto em hospitais e clínicas como em residenciais sênior, é a possibilidade de realizar uma triagem autônoma. O Robios é capaz de verificar a temperatura de pessoas e perguntar sobre sintomas, realizando uma triagem de acordo com as necessidades do espaço.

Isso significa que, num residencial sênior, por exemplo, é possível avaliar a entrada de pessoas, em tempos de pandemia, com base em critérios como temperatura corporal e sintomas, como medida para proteger os moradores, que representam grupo de risco para a Covid-19.

Em uma clínica ou num hospital, porém, é possível programar o Robios para que ele realize verificações mais específicas, direcionando o paciente para o lugar correto, de acordo com suas necessidades. Mesmo quando a pandemia acabar, essa possibilidade apresentada pela telepresença ainda será interessante, já que pode otimizar os atendimentos, mantendo a simpatia e a humanização que só o Robios é capaz de oferecer!


Detecção do uso de máscara

Também é parte dos benefícios da telepresença, especialmente em meio à pandemia do coronavírus, a função de detecção do uso de máscaras. Como o Robios utiliza inteligência artificial e visão computacional, ele pode detectar se uma pessoa está ou não usando máscara. Mais do que isso, pode também solicitar que a pessoa coloque a máscara!

Em ambientes como clínicas e residenciais sênior, essa função pode ser um diferencial importante para evitar que pessoas acessem ou transitem pelos espaços sem a utilização de máscaras. É mais uma forma como a telepresença auxilia na proteção da saúde e na promoção do bem-estar das pessoas.


Fornecimento de informações e monitoramento

Outro dos benefícios da telepresença por meio do Robios, especialmente em residenciais sênior, é o fornecimento de informações e o monitoramento constante. É possível programar o Robios para que, ao encontrar um morador, ofereça informações como o cardápio do almoço ou o horário da próxima atividade da casa, ou lembrar o morador de tomar água ou seus remédios, por exemplo.

Além disso, com a telepresença e a autonomia do Robios, é possível estabelecer uma interação ainda mais individualizada. Com a tecnologia de reconhecimento facial, o Robios pode detectar quem é a pessoa que está interagindo com ele e fornecer informações específicas, como mostrar fotos dos netos e imagens de interesse dele, além das informações mais básicas, como remédios e lembretes.

Ainda nos residenciais, é possível programar o Robios para que ele monitore os moradores. Por serem pessoas de idade mais avançada, muitas vezes o corpo já está enfraquecido e é comum haver quedas. Nesse sentido, o Robios pode detectar quando uma pessoa ficou em pé e enviar alertas, para que a locomoção desse morador seja monitorada, ajudando a evitar quedas.



Tudo isso pode parecer coisa de outro mundo, mas a telepresença é uma realidade cada vez mais presente em diversos lugares do mundo – inclusive no Brasil!

Acesse nosso site e confira as muitas possibilidades que o Robios oferece.

Ou entre em contato para mais informações.



57 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
whatsapp